Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Deixai vir a Mim as criancinhas

por Teresa Power, em 16.08.14

Na Irlanda fomos à missa algumas vezes. No primeiro domingo que ali passámos, entrámos numa igreja muito bonita e sentámo-nos ao fundo, procurando manter o silêncio. Quem nos conhece, contudo, sabe que estar sossegado na igreja não é exactamente uma das virtudes dos nossos filhos mais novos. Ao descobrirem a escadaria que levava ao coro da igreja, logo se entretiveram a subir e a descer, encantados. Assim, e porque também eramos muitos, não conseguimos passar despercebidos. Foi com alegria que, antes da bênção final, nos apercebemos que o sacerdote falava de nós, dando-nos as boas vindas à sua paróquia. Isto é ser acolhido!

 

No domingo seguinte, regressámos à mesma igreja. Desta vez, para evitar as escadas, sentámo-nos na primeira fila. Asneira... A Sara, que se sente em casa na Casa de Deus, tão habituada está a frequentá-la, manteve naquela igreja desconhecida o à-vontade que tem aqui no Santuário de Nossa Senhora Auxiliadora. E sem que eu o pudesse evitar, correu para os degraus do altar, subiu e pôs-se alegremente a brincar no chão. Ficámos estarrecidos, em silêncio absoluto, sem saber o que fazer. Ir buscá-la seria provocar uma enorme birra, com direito a pontapés e tudo; mas deixá-la estar ali poderia levar a algum comentário mais duro do sacerdote, já que não o conhecíamos.

 

Enquanto eu procurava pensar no que fazer, o sacerdote adiantou-se: com um sorriso, pronunciou uma das frases de Jesus que mais gosto de escutar:

 

"Deixai vir a Mim as criancinhas, não as impeçais, porque é dos que são como elas que é o Reino dos Céus." (Lc 18, 16-17)

 

E acrescentou: "Deixem a menina no altar, que Jesus fica contente!"

A assembleia explodiu então numa gargalhada até aí muito bem contida, e eu suspirei de alívio. Antes de sair da igreja, e diante do sorriso de todos, tirámos uma fotografia junto da estátua de S. Patrício, padroeiro da Irlanda, o santo bispo que introduziu o cristianismo na ilha:

 

                   S. Patrício, rogai por nós!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:00


2 comentários

De Rute Almeida a 16.08.2014 às 11:16

Que testemunho tão bonito! Quem nos dera que as missas tivessem mais barulho e presença de crianças. Era sinal que estava de acordo com a palavra de Deus...

De Margarida a 16.08.2014 às 23:07

Na Paróquia de São João Baptista, em Coimbra, a missa das 11 h de Domingo tem cada vez mais crianças pequenas. Numa das últimas missas as crianças eram tantas que o nosso Pároco, antes da bênção final, chamou todos os pais de crianças até aos 5 anos ao altar. Intrigados, lá fomos nós, juntamente com mais de dez famílias, levando os nosso pequenos pela mão ou ao colo. E ele, com um sorriso, disse-nos que éramos bem-vindos à missa, que as nossas crianças eram sempre bem-vindas, mesmo quando estavam mais irrequietas ou barulhentas. E deu-lhes uma bênção especial, para que cresçam em estatura, sabedoria e graça, como Jesus...

Comentar post




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds


livros escritos pela mãe

Os Mistérios da Fé
NOVO - Volume III

Volumes I e II



Pesquisa

Pesquisar no Blog  


Arquivos

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D