Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Mesmo que a mãe se esqueça...

por Teresa Power, em 13.03.14

Hora do banho. Enquanto ensaboo a Lúcia, converso com ela como costume.

- Hoje a tia Fátima disse que há pais que se esquecem que têm filhos - disse-me ela muito séria. A "tia" Fátima é uma educadora muito querida no infantário dos meus filhos, o Centro Social S. José de Cluny. Brasileira, cheia de vida, costuma dar catequese às crianças do pré-escolar e falar com elas sobre alguns temas mais difíceis. Aproximando-se o dia do pai, a "tia" Fátima deve ter tentado explicar aos meninos por que razão alguns papás não vão estar disponíveis para fazer os trabalhinhos relacionados com a festa, ou para participarem na oração da manhã, especialmente preparada para eles.

 

O que eu não estava à espera era do que se seguiu. Num tom levemente preocupado, a Lúcia perguntou:

- Alguma vez te esqueceste que tens filhos, mamã?

Dei uma boa gargalhada.

Bem, a verdade é que uma vez ia arrancando do colégio, na hora da recolha, sem o David... Felizmente tenho o hábito de fazer "a chamada" antes de começar a viagem de regresso a casa! E recordo-me ainda do dia em que sentei o António e a Lúcia  em cima das suas camas para cumprirem um castigo de dois longos minutos... A Sara teve de mudar a fralda, o David precisou de ajuda no trabalho de casa, e cerca de quinze minutos mais tarde (que horror!) lembrei-me deles... Ainda estavam calmamente sentados nas camas!

Mas apesar destes percalços de família numerosa, pude responder com verdade à Lúcia:

- Não, filha, nunca me esqueci que tenho filhos!

 

A Clarinha escutou a nossa conversa. Interrompendo, disse à irmã:

- Sabes, Lúcia, mesmo quando algum pai ou alguma mãe se esquece de que tem filhos, Deus não se esquece! - E voltando-se para mim, perguntou: - Como é mesmo aquela passagem da Bíblia que diz isso?

 

Às vezes pensamos que Deus Se esqueceu de nós sentados num banquinho de castigo. Às vezes sentimo-nos abandonados por todos, e infelizmente, há quem seja abandonado pelos pais, e quem seja abandonado pelos filhos...

Para que ninguém tenha dúvidas do amor imensurável de Deus por nós (não, Ele não nos deixa sentados num banquinho de castigo), aqui fica a passagem que a Clarinha me recordou:

 

"Sião reclama: «O Senhor abandonou-me, o Senhor esqueceu-Se de mim!» Pode uma mulher esquecer o seu bebé, deixar de querer bem ao filho das suas entranhas? Mesmo que alguma esquecesse, Eu não te esqueceria! Eis que Eu te gravei na palma das minhas mãos!»" (Is 49, 14-16)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:22


1 comentário

De Isabel Silva a 13.03.2014 às 13:38

Realmente é uma pergunta caricata.
A partir do momento em que somos mães, é impossível esquecermo-nos de que temos filhos! Fazem parte de nós, são "sangue do nosso sangue". Pessoalmente, tenho muito orgulho nas minhas inevitáveis estrias da barriga fruto das gravidezes das minhas Marias. É uma marca fantástica!
E quando forem crescidos e se tornarem independentes, vão continuar a ser os nossos meninos pequenos. Não somos nós também vistos pelos nossos pais como "crianças"???
Adorei o post, obrigado Teresa.
Bjs

Comentar post




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds


livros escritos pela mãe

Os Mistérios da Fé
NOVO - Volume III

Volumes I e II



Pesquisa

Pesquisar no Blog  


Arquivos

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D