Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Reis muito bons

por Teresa Power, em 18.01.15

O David veio ter comigo para me oferecer um desenho. Trazia-o enrolado e atado com um fio de embrulho e disse-me que era uma prenda. Desenrolei-o com jeitinho e encontrei isto:

 

20150116084456588_0001.jpg

 

Como o papel já está bastante amarrotado e como o David não gosta de colorir, o desenho percebe-se bastante mal aqui na imagem. Fica o texto:

"Os meus pais mandão em mim como reis muito bons."

 

Um sorriso desenhou-se-me nos lábios. Já me tinham chamado muita coisa, mas isto! Ver o Niall e eu vestidos de rei e rainha, com coroas na cabeça, assomando nas ameias do nosso castelo com ar seguro e feliz foi uma surpresa muito divertida. As crianças têm uma imaginação imensa, e o meu filho David consegue imaginar-me como uma rainha muito boa, e ao Niall como um rei muito bom. Mas o curioso é o que este rei e esta rainha fazem: eles "mandão" no pequeno David; e o pequeno David parece muito feliz com isso!

A obediência, como já referi, está em crise, e em crise muito séria. Na escola, quase todos os alunos a quem chamo a atenção têm uma resposta pronta que diz mais ou menos isto: "A professora não manda em mim." E a impressão com que fico é que nem eu, nem ninguém... No entanto, esta autonomia é apenas aparente, pois lá no fundo, estas crianças sofrem de uma enorme insegurança. Há uma idade para obedecer, e há uma idade para mandar. E quando não respeitamos a primeira, a segunda não será certamente uma idade de autoridade, mas de autoritarismo, que é uma das coberturas do medo.

 

Jesus ensinou-nos no Evangelho que, diante de Deus, somos todos, e sempre, filhos pequeninos. A nossa felicidade está portanto, como a do David, em obedecer a este "Rei muito bom" que é o nosso Pai e o nosso Deus. Fazer a sua vontade pode parecer custoso de início, mas com a prática torna-se fonte de alegria intensa! No evangelho, Jesus assegurou-nos que, se queremos ser, como Ele, da família de Deus, não temos outro caminho senão o da obediência simples e alegre:

 

"Aquele que fizer a vontade de Deus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe." (Mc 3, 35)

 

E o salmo da missa de hoje, domingo, diz assim:

 

"Eu venho, Senhor, para fazer a vossa vontade." (Sl 39/40)

 

Que a capacidade de obediência dos nossos filhos nos ensine a sermos melhores filhos do melhor dos Pais, do melhor dos Reis, do nosso Deus...

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 06:31


1 comentário

De Helena Atalaia a 18.01.2015 às 13:23

Uma verdade que quando conseguimos experiênciar
de coração aberto, perceber e aceitar nos tornamos verdadeiramente livres e felizes:)

Comentar post




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds


livros escritos pela mãe

Os Mistérios da Fé
NOVO - Volume III

Volumes I e II



Pesquisa

Pesquisar no Blog  


Arquivos

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D