Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Meditações desenhadas

por Teresa Power, em 01.03.16

Hora de oração familiar.

- Mãe, posso desenhar os mistérios?

- E eu também?

O David e a Lúcia olham para mim com esperança.

- Sim, claro. Hoje vamos rezar os mistérios da alegria.

- É a história de Jesus pequenino, não é?

- Sim, é. Agora despachem-se a arranjar os lápis e o papel, para começarmos!

Começamos. Instalados no sofá, almofadas ao colo a servir de mesas, papel e lápis na mão, os meninos vão rezando e vão desenhando... E que desenham eles? A sua meditação. Enquanto nós, adultos, meditamos mentalmente, construindo imagens mentais dos mistérios que contemplamos, os mais pequeninos precisam de materializar o seu pensamento. Que melhor forma do que ir desenhando o que vamos contemplando?

terço desenhado.JPG

O terço chega ao fim. O David e a Lúcia estendem-me os seus desenhos, orgulhosos. Vou colocá-los no Canto de Oração. Mas antes vou digitalizá-los para que vocês também os possam ver. Conseguem identificar os cinco mistérios da alegria, que o David desenhou? A Anunciação do anjo a Maria, a Visitação de Maria a Isabel, o Nascimento de Jesus, a Apresentação de Jesus no Templo, Jesus entre os doutores... Tudo aí está, desenhado com rigor!

 mistérios gozosos 1_David 2016.jpg

mistérios gozosos 2_David 2016.jpg

E os mistérios da glória, desenhados também pelo David, no domingo?

mistérios gloriosos_David 2016.jpg

Que dizem a esta felicidade estampada no rosto de Nossa Senhora, nos dois primeiros mistérios da alegria que a Lúcia desenhou?

mistérios gozosos 1_lúcia.jpg

Terei eu estado tão atenta a cada mistério como o David e a Lúcia estiveram? A grande maravilha da oração do terço é precisamente permitir-nos, num ciclo semanal, meditar na vida inteira de Jesus: segundas e sábados, meditamos na sua infância: são os mistérios da alegria; quintas, meditamos na sua vida pública, entre o batismo e a instituição da Eucaristia: são os mistérios luminosos; terças e sextas, meditamos no seu sofrimento e na sua morte: são os mistérios da dor; quartas e domingos, meditamos na sua glorificação, bem como na de sua Mãe: são os mistérios da glória. As famílias que rezam o terço todos os dias têm a graça de, semana a semana, percorrer a vida inteira de Jesus, e não apenas alguns episódios. Afinal, rezar o terço é imitar a Mãe de Jesus... Diz-nos S. Lucas:

 

"Sua Mãe guardava todas estas coisas em seu coração..." (Lc 2, 51)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 06:00

Meditações... originais

por Teresa Power, em 12.10.15

Hora de oração familiar. Sentados no Canto de Oração, rezamos o terço. Primeiro Mistério Luminoso...

- Eu sei qual é! - Grita a Lúcia, entusiasmada. - O Batismo de Jesus!

A avó, sentada ao seu lado, pisca-me o olho. As avós também servem para "Espírito Santo de orelha", claro...

- Muito bem, Lúcia. E queres fazer a meditação?

- Sim. - A Lúcia pensa um bocadinho e diz: - Jesus, ajuda-nos a batizar-Te!

- Que disparate! - Atalha o David, com ar importante - Mamã, eu faço: Jesus, envia sobre nós o teu Espírito, como uma pomba...

- Ah, pois é, tinha-me esquecido da pomba! Uma pomba linda!

- Pronto, Lúcia, fazes a meditação do próximo mistério! Agora vamos rezar: Pai-Nosso...

Mal acabamos de rezar o primeiro mistério, já a Lúcia, depois de alguns segredinhos com a avó, enuncia o segundo:

- As Bodas de Caná!

- Muito bem. Queres fazer a meditação?

- Sim... Deixa-me pensar... Já sei: Jesus, ajuda-nos a transformar a água em vinho!

Gargalhada geral.

- Cá em casa nem dava muito jeito, que ninguém bebe vinho! - Diz a Clarinha.

- Já viste o que era se todos se pusessem a transformar a água em vinho? - Continua o Francisco, divertido.

Valha-nos o David:

- Mãe, eu faço outra vez: Jesus, ensina-nos a fazer tudo o que Tu nos disseres!

E lá rezamos nós mais um mistério.

Terceiro mistério...

- A pregação de Jesus!

- Boa, Lúcia. E agora?

- Jesus com os braços muito abertos, pregado na cruz...

Mais gargalhadas.

- Lúcia, quantas vezes te explicámos que não é essa pregação? É anunciar o Evangelho!

- Ah...

- OK, Lúcia, amanhã tentas de novo fazer as meditações. Ficas dispensada por hoje!

Lúcia com terço.JPG

Aprender a meditar o rosário leva o seu tempo. Como tudo na vida, precisa de treino, e o treino implica tentativas falhadas mas corajosas. Já viram alguém aprender a nadar com aulas teóricas? Ou sem engolir água? Ou sem apanhar um susto? Hoje, a Lúcia arriscou muito... Mas dentro de dois anos terá a rapidez mental do David para fazer as meditações - curtas frases que nos ajudam a oferecer o mistério e a oração ao Senhor!

 

"Procurai e achareis; pedi e recebereis; batei à porta e abrir-se-vos-á. Porque todo o que procura, encontra; e o que pede, receberá; e ao que bate, abrir-se-á." (Lc 11, 9-10)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Primavera e oração

por Teresa Power, em 21.03.15

Dia do Pai. Pequeno almoço. Os meninos acordam com o doce cheirinho da apple crumble irlandesa.

- Feliz Dia do Pai!

- Feliz Dia do Pai!

As exclamações de alegria repetem-se, enquanto todos correm para a cozinha para um pequeno-almoço esmerado. Entre duas garfadas, o Francisco comenta, em tom de brincadeira:

- Para quaresma, as nossas refeições nem têm sido más!

- Sim, são mais as exceções que a regra! - Acrescenta a Clarinha - Dia do pai, dia de S. Patrício, os meus anos, o retiro...

- Ah, o retiro! A comida do retiro é sempre a melhor comida do mundo! Não sabe a quaresma, não...

- E depois os domingos de panquecas, que o domingo é sempre dia de festa, quaresma ou não quaresma...

- Bem, a alimentação não tem sido a base do nosso sacrifício quaresmal. No entanto, acho que esta quaresma temos rezado muito, não é verdade?

- Sim, mamã, temos rezado muitas vezes a Via Sacra, e feito adoração em silêncio. E temos contado muitas histórias da Bíblia!

- E eu estou sempre a pensar em Jesus, sabes, mãe?

- Ai sim, David?

- Sim. Quando estou na escola penso muitas vezes: "Jesus fica ou não contente com o que eu estou a fazer?" Há uma menina na minha sala que me irrita tanto! Está sempre a implicar comigo. Então eu fico a pensar como é que Jesus fazia se fosse eu.

- Que boa ideia, David! Não estás nunca sozinho nessas lutas. Jesus está sempre a teu lado! Lembra-te de rezar sempre: "Nós, Jesus!"

- E eu lembro.

O pequeno-almoço está terminado. Enquanto os meninos acabam de se arranjar, o Niall e eu arrumamos a montanha de louça espalhada pela mesa. São quase horas de sair para a escola, mas estamos habituados a aproveitar todos os minutos a sós - com ou sem louça pelo meio - para conversar:

- Quando nos acostumamos a rezar a Via Sacra, pensamos mais vezes no que significa realmente o sacrifício de Jesus - Diz-me o Niall.

- Sim, faz-nos bem meditar em cada passo do seu caminho doloroso. Quanto mais meditamos na cruz de Jesus, mais os nossos afazeres nos parecem triviais. Começamos a perceber que realmente, só o amor importa...

- E deixamos de dar importância ao que não tem importância.

- A oração serve mesmo para isso, não é? Rezar não serve para mudar a vontade de Deus, porque a vontade de Deus é perfeita; serve antes para mudar a nossa vontade, converter o nosso coração, assimilar os critérios do Evangelho, aprender a ver a vida através do olhar de Jesus.

- Meditar na Via Sacra e adorar Jesus no Santíssimo Sacramento são duas formas de imitarmos Verónica, que ao enxugar o rosto de Jesus, descobriu os traços do Senhor gravados no seu véu, no seu coração, na sua vida...

- Sim, Verónica é uma bela imagem do que acontece a quem reza! E penso que todos nós cá em casa estamos a experimentar esta união crescente com o Senhor.

Antes de sairmos para a escola, a Lúcia quer oferecer uma flor a Jesus, depois de fazer as pazes com o António. O nosso Canto de Oração cheira a primavera...

DSC01358.JPG

 "Todos nós, de face descoberta, refletimos a glória do Senhor como um espelho, e somos transformados nesta mesma imagem, sempre mais gloriosa, pela ação do Senhor." (2Cor 3, 18)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 06:29

Qual és tu?

por Teresa Power, em 16.01.15

Hora da história. Sentados ao meu lado no sofá, a cabeça aninhada no meu ombro, uma manta quentinha a cobrir-nos a todos, o David, a Lúcia, o António e a Sara escutam atentamente uma das suas histórias preferidas. É uma história sobre animais, muitos animais, animais do pólo norte, da selva, da savana, da floresta. Ainda mal abri o livro e já o António aponta para um elefante:

- Eu sou este!

- E eu sou este! - Avança o David, apontando para um hipopótamo.

- Não, eu é que sou! - Atalha a Lúcia - Ontem foste tu esse, hoje sou eu!

- Sou eu! Sou eu! - Conclui a Sara, que nunca perde a ocasião.

Sorrio para mim própria, enquanto leio a primeira página da história. Depois viro a folha com jeitinho. Ainda não comecei a ler, e já sou presenteada com a mesma lengalenga:

- Eu sou este!

- E eu sou este!

E assim vamos avançando, devagarinho, página a página, até chegarmos à linha final, onde todos os animais alcançam a vitória em conjunto.

DSC00732.JPG

Enquanto deito os quatro meninos, dou comigo a pensar na sua sabedoria ao escutar uma história: sem precisarem de fazer grande esforço, as crianças são perfeitamente capazes de escolher uma personagem e se identificarem com ela, experimentando a sua força, a sua coragem, a sua dor. Assim, quando chegam ao final da história, a vitória dos seus heróis tornou-se a sua própria vitória.

E pensei então... Qual a minha atitude ao ler a Bíblia? Serei eu capaz, como as crianças, de penetrar na história que leio, não como espectador de algo que aconteceu uma vez no passado, mas como personagem de algo que acontece agora na minha vida? Serei eu capaz de me identificar com Abraão, David, Gedeão, Ester, José, Maria, Zaqueu, Madalena, Pedro, João, Paulo? Serei eu capaz de me identificar com as desconfianças dos fariseus, o pecado da adúltera, a surpresa do centurião, a humildade do Bom Ladrão, a alegria de Mateus? Estarei eu sempre no lado dos "bons"? Ou consigo assumir o meu eu "mau", capaz de atirar tantas pedras? Estarei eu atenta, profundamente atenta à voz de Jesus, aos gestos de Jesus, ao andar de Jesus, ao olhar de Jesus, como estavam todos os que com Ele se cruzavam?

Quando eu conseguir ler assim o Evangelho, então estarei verdadeiramente a meditar, como diz o salmo 119/118:

 

"Teu mandamento tornou-me mais sábio que meus inimigos,

pois tenho-o sempre comigo.

Tornei-me mais perspicaz que todos os meus mestres,

pois meditei na tua Lei.

Tenho mais discernimento que os anciãos,

pois observei os teus preceitos."

(Sl 119/118, 98-100)

 

Então, só então, Jesus será para mim verdadeiramente o Salvador, estendendo-me a mão e chamando-me para fora dos meus túmulos. E o meu encontro com Ele mudará a minha vida...

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds


livros escritos pela mãe

Os Mistérios da Fé
NOVO - Volume III

Volumes I e II


Posts mais comentados


Pesquisa

Pesquisar no Blog  


Arquivos

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D