Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Planeamento familiar III (em jeito de conclusão)

por Teresa Power, em 04.11.14

Quando Jesus terminou o seu discurso sobre o Pão da Vida, a grande maioria dos seus ouvintes afastou-se, dizendo:

 

"Estas palavras são duras! Quem as pode escutar?" (Jo 6, 60)

 

Que fez então Jesus? Chamou-os de volta, pedindo desculpa por ter sido demasiado exigente? Refez o seu discurso? Como, se Ele bem sabia que as suas palavras abriam caminhos de felicidade?...

 

"Voltando-se para os doze, Jesus perguntou-lhes:  «Também vós quereis ir embora?» Pedro, tomando a palavra, respondeu: «A quem iremos, Senhor? Só Tu tens palavras de vida eterna!»" (Jo 6, 67-68)

 

Se alguma coisa eu gostaria de ensinar aos meus filhos, é esta: só Jesus tem palavras de vida eterna; e se quisermos ser plenamente felizes, não podemos ter medo delas por nos parecerem demasiado duras. Pelo contrário: ao decidirmos praticá-las, descobriremos toda a doçura escondida nos seus ensinamentos, e experimentaremos uma felicidade nova, pura, transbordante, profunda e eterna!

 

Os posts anteriores (aqui e aqui) permitiram-vos compreender como foi complicado, para nós, há dezoito anos atrás, aceder a esta informação preciosa sobre planeamento familiar. Era nosso direito, como noivos católicos, sermos bem informados sobre esta matéria. Como diz o Papa Francisco, "preparar noivos para o matrimónio apenas em dois encontros ou conferências é pecar por omissão." (Encontro do Papa Francisco com o Movimento de Schoenstatt, 25 de outubro). E é nosso dever agora, como família feliz, testemunhar estas verdades junto de outras famílias.

Um grande obrigada a todos os que partilharam connosco, via e-mail ou comentários, a sua experiência sobre esta temática, tão semelhante à nossa! Rezemos para que um dos frutos do sínodo dos bispos seja uma maior clareza de ensinamentos e um maior acompanhamento dos noivos, sempre num clima de misericórdia e de exigência próprios do Evangelho! E como muitos dos vossos testemunhos confirmaram, com Deus estamos sempre, sempre a tempo de recomeçar! Ele não nos cobrará nada, antes nos estenderá a mão para podermos abrir caminho.

 

Eu não posso voltar atrás no tempo e refazer a nossa história, que teve tantos tropeções enquanto procurávamos descobrir sozinhos o caminho de santidade e felicidade conjugal também em relação ao planeamento familiar. Mas posso educar os meus filhos, para que a sua história seja diferente, caso eles assim o desejem.

Eis então o que lhes procuramos dizer, a propósito e a despropósito, com palavras e com sinais, usando a Escritura e usando o noticiário, testemunhando e apresentando testemunhos:

 

O nosso corpo é apenas o exterior da nossa alma. Não podemos tocar no corpo de alguém sem tocar também na sua alma; não podemos entregar o corpo a alguém sem lhe entregar também a alma; e não podemos mentir com o nosso corpo sem mentir também com a nossa alma. Por tudo isto, a Igreja ensina que o acto sexual só faz sentido quando duas pessoas se entregam uma à outra, completamente e para sempre, sem retorno.

 

A sexualidade é invenção de Deus, e a Ele pertence. Ela foi feita para que nos tornemos imagem e semelhança de Deus em amor, em entrega, em generosidade, em alegria, em vida, em doação profunda. A contracepção é uma mentira introduzida neste imenso dom de Deus, pois faz-nos acreditar que estamos a entregar-nos totalmente a alguém, quando ao mesmo tempo estamos a recusar-lhe o que de mais divino possuímos: a nossa fecundidade.

 

Sabemos que a fecundidade pertence em exclusivo a Deus, porque na verdade não somos donos dela! Mas se, por qualquer motivo, não podermos ter filhos biológicos, Deus tem tantas outras formas de nos tornar fecundos! É importante conhecer o testemunho de famílias felizes, em caminhada de fé e de amor, que vivem a sua fecundidade através da adopção. Quero que os meus filhos conheçam estes testemunhos de perto antes de casarem, para não terem medo deste caminho belíssimo de amor, se Deus o desejar para eles.

 

Para planearmos responsavelmente a nossa família, precisamos de conhecer os ritmos e os sinais do corpo feminino. Não é necessário esperar pelo casamento para o fazer! Quanto mais cedo nos conhecermos, mais simples será depois. Como mãe, tenciono ensinar às minhas filhas os segredos do seu corpo o mais cedo possível, para que os seus primeiros anos de casadas sejam mais tranquilos do que foram os meus neste tópico.

 

Mas para planearmos responsavelmente a nossa família, também precisamos de uma boa dose de loucura. Quando, no encontro internacional com o movimento de Schoenstatt, perguntaram ao Papa Francisco como fazia para se manter alegre, ele respondeu: "Sou inconsciente, rezo e tenho a audácia de me abandonar à confiança e bondade de Deus." Se não formos um bocadinho inconscientes (a mim costumam chamar de irresponsável), se não rezarmos e se não nos entregarmos nas mãos amorosas do Senhor, dificilmente teremos uma família numerosa!

Os métodos naturais facilitam esta loucura, pois permitem que muitas decisões sejam tomadas "a quente", sob o fogo da paixão: "Que tal se fosse agora?" "Porque não?" E acreditem-me, não há melhor razão para ter um filho.

pintaínhos - Cópia.JPG

 Ficam alguns links, para quem quiser explorar:

 - O site oficial do Método Billings (em inglês)

- Um vídeo vencedor sobre Planeamento Familiar Natural

 

E relembro que a Associação Família e Sociedade tem um curso de planeamento familiar natural agendado para os próximos dois sábados.

Divirtam-se, e partam à aventura!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 06:43


13 comentários

De Teresa Power a 04.11.2014 às 10:45

Cara fm, todos os dias, o Niall e eu rezamos pela santificação dos nossos filhos. E continuaremos a rezar a vida inteira! Se eles, na liberdade de filhos de Deus - liberdade que é o dom mais precioso que Deus nos concedeu - decidirem trilhar caminhos diferentes dos que o Senhor nos propõe, rezaremos a dobrar! Depois, com toda a alegria e confiança, entregaremos tudo nas mãos de Deus. Afinal, os nossos filhos não são nossos, mas de Deus, e a nós não compete controlar as suas vidas, mas apenas orientar, testemunhar, ajudar, rezar. Sabermos isto, acredite, é fonte de uma imensa alegria!
Outra grande fonte de alegria que temos é a consagração que diariamente nós e eles fazemos a Nossa Senhora. Ela, como sua mãe, não deixará que eles se percam, como não nos tem deixado a nós! Só no céu saberemos os perigos de que Maria nos livrou ao longo da vida... Vai ser uma grande surpresa!
Obrigada, fm, pela sua pergunta tão pertinente - e por continuar connosco

De Cátia Dias a 04.11.2014 às 16:20

Teresa, Quero uma vez mais agradecer-lhe pelas vossas partilhas tão boas, belas, importantes e santas!
No passado mês de Outubro fomos convidados para fazer parte do movimento famílias de Schoenstatt em Lisboa, foi muito emocionante para nós... Sentimos que foi a vontade da Nossa Mãe querida que estivesse-mos ali e que façamos parte desta família para crescer no amor e em santidade, e também para melhor educar-mos os nossos filhos na fé e nos valores preciosos do Evangelho.
Gosto muito do vosso blog. É muito importante para nós famílias cristãs. Sentimos apoio e alegria...juntos em comunhão com Cristo por meio de Maria!
Deus vos encha de bençãos!!!!

De Teresa Power a 04.11.2014 às 16:58

Olá Cátia! É maravilhoso ver as famílias fazerem as suas caminhadas de santidade pelos caminhos que Deus vai abrindo! Que o Senhor vos abençoe, e vão partilhando connosco! Ab

Comentar post




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds


livros escritos pela mãe

Os Mistérios da Fé
NOVO - Volume III

Volumes I e II



Pesquisa

Pesquisar no Blog  


Arquivos

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D