Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


O dia das pequenas coisas

por Teresa Power, em 07.09.14

A escola está quase aí! De repente estamos cheios de pressa: é preciso encadernar livros e cadernos, comprar material, afiar os lápis de cor... E é também preciso rever a tabuada! Dia sim, dia não, sento-me com o David e vou perguntando: 2x6=... 4x5=... Eu nunca gostei de matemática, mas reconheço que nunca soube tão bem a tabuada como agora, pois venho a recitá-la há vários anos - primeiro com o Francisco, depois com a Clarinha, agora com o David... No outro dia, enquanto escutava o meu filho pela terceira vez consecutiva a recitar a tabuada do 7, dei comigo a fazer algumas contas: quantos anos me esperam de tabuadas? Talvez para o ano já não seja necessário repeti-la com o David, pois ele já terá a autonomia necessária para a estudar sozinho, mas nessa altura começará a Lúcia, e depois o António, e por fim a Sara... E eu que pensei ingenuamente, aos quinze anos, estar livre da matemática para sempre! Suspirei, resignada, enquanto corrigia o David: não, David, 7x7 não é 48!

 

Alguns minutos mais tarde, os meus seis filhos estavam sentados no chão do escritório a fazer lego. O David pedira ao Francisco para o ajudar a fazer um barco de piratas e a Lúcia pedira à Clarinha para a ajudar a fazer um barco de princesas. A Sara e o António iam retirando peças um ao outro, choramingando e rindo à vez, e todos pareciam entender-se. Para chegar a este computador tive de saltar sobre uma montanha de legos, gesto a que felizmente estou bastante habituada e que me parece perfeitamente normal. Afinal, há quinze anos que tropeço em legos pela casa fora! Depois ri-me para mim própria: talvez nunca deixe de tropeçar em legos, talvez quando a Sara se cansar deles já falte pouco para os netos os utilizarem... Invadiu-me uma sensação de felicidade perfeita. Não há nada que me dê maior alegria que ver os meus filhos a brincar!

 

 

 

Quando o povo de Deus desanimou na tentativa de reconstruir o Templo, tarefa por demais grandiosa e difícil, o Senhor desafiou-o através do profeta Zacarias:

 

"Quem desprezou o dia das pequenas coisas? Alegrem-se vendo a pedra escolhida!" (Zac 4, 10)

 

O Templo das nossas vidas e da nossa família será construído por pequenas coisas, pedra a pedra. Hoje é então para nós o "dia das pequenas coisas." Na verdade, a maternidade, como tudo o que vale a pena, tem momentos de luta e momentos de descanso, que na grande maioria das vezes são tão banais e repetidos como o estudo da tabuada ou uma brincadeira de legos, ambos "pequenas coisas"... Fugir dos pequenos sacrifícios e das pequenas alegrias da vida (é tão fácil desprezar as "pequenas coisas"!) é pôr de lado a pedra escolhida...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 06:42



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds


livros escritos pela mãe

Os Mistérios da Fé
NOVO - Volume III

Volumes I e II


Posts mais comentados


Pesquisa

Pesquisar no Blog  


Arquivos

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D