Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Uma tarefa grandiosa e humilde

por Teresa Power, em 07.10.14

No sábado estive no Porto, no E-vangelizar, um encontro fantástico organizado pelos salesianos para catequistas, feito de workshops onde podemos aprender, treinar e partilhar várias formas de evangelizar. De Mogofores, fomos um bom grupo de catequistas, e o convívio foi óptimo.

As edições salesianas tinham no encontro uma mesa onde vendiam as últimas novidades para catequistas. Entre elas, o terceiro volume do meu livro Os Mistérios da Fé. Finalmente pude pegar no meu livro, folheá-lo e cheirá-lo! É uma sensação estranha, esta de ver o fruto do nosso trabalho à venda. Enfim, se o quiserem adquirir, cliquem na imagem do lado direito e encomendem às edições!

Na viagem de carro, conversávamos animadamente sobre muitas coisas, entre elas, a catequese.

- Que responsabilidade tão grande a nossa - disse um dos catequistas, num tom levemente preocupado. Pai de uma bela Família de Caná, ele vai pela primeira vez ser catequista, tendo a seu cargo um grande grupo de crianças de seis anos. Entre elas, a Lúcia!

- Responsabilidade porquê? - Perguntei.

- Então, vou ser responsável por apresentar Jesus a tantos meninos... Muitos deles nunca antes ouviram falar de Deus! O primeiro encontro é sempre tão marcante... Quero ser fiel. Não quero falhar no essencial... Quero manter o rumo. Quero ser digno desta tarefa grandiosa!

Levar Jesus às crianças é verdadeiramente uma tarefa grandiosa, e nenhum de nós está à altura, claro! Como diz S. Paulo:

 

"Levamos este tesouro em vasos de barro, para que se veja que este extraordinário poder é de Deus e não nosso." (2Cor 4, 7)

 

Dizia-nos o padre Rui Aberto, no encontro, com muita graça, que há dois tipos de catequistas que se devem evitar: os que acreditam que tudo depende do nosso esforço, e não deixam espaço à novidade de Deus; e os que acreditam que o Espírito Santo faz tudo, de tal forma, que nem precisamos de preparar a catequese! Não, o Espírito Santo não é o espírito da preguiça, mas da graça, e o Papa Francisco alertou-nos na sua exortação que é preciso, sim, preparar as homilias, preparar as evangelizações, preparar as pregações:

 

"Um pregador que não se prepara não é «espiritual»: é desonesto e irresponsável quanto aos dons que recebeu." (A Alegria do Evangelho, nº 145)

 

Escutei as palavras do meu amigo catequista com agrado. Um catequista apaixonado por Jesus, que tira tempo para fazer formação, que tira tempo para ler e meditar na Palavra e nas palavras que nos levam até Deus, e que o faz com humildade, consciente da sua fraqueza e da grandiosidade da tarefa que lhe é proposta, é de certeza um bom catequista. A Lúcia fica bem servida!

Pensei então na nossa responsabilidade enquanto pais... Somos os primeiros evangelizadores dos nossos filhos. Seremos suficientemente fiéis ao Senhor? Estaremos suficientemente preparados? Lemos, estudamos e aprofundamos a nossa fé, ou contentamo-nos com o que aprendemos na nossa própria catequese, quando éramos crianças? Conhecemos a Palavra de Deus? Conhecemos a Palavra da Igreja?

 

Os Mistérios da Fé foram escritos porque também eu ando à procura, porque também eu estou consciente da minha imensa pequenez e da minha imensa responsabilidade enquanto mãe e enquanto catequista. Escavei, escavei, escavei a Palavra de Deus, lendo a propósito e a despropósito, estudando, meditando. Procurei servir os catequistas e sobretudo as famílias, no seu tempo semanal de evangelização (sim, também na família é preciso encontrar um tempo semanal de evangelização formal!). A obra escrita está terminada com este terceiro volume; mas a obra vivida, essa ainda só está a começar...

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 06:56


6 comentários

De Olívia a 07.10.2014 às 09:11

Parabéns Teresa pelo tempo que dedicas a todas estas actividades e à tua família! Parabéns pelo teu livro, mais uma vez consegues chegar até nós com questões, pensamentos, meditações e "tarefas" muito importantes, estes teus livros têm sido de facto um grande apoio nas histórias da Bíblia e na minha oração pessoal, pois nele encontramos as passagens, contextualização no tempo e no espaço assim como uma explicação para nos fazer pensar e agir!
Olívia


(Um abraço grande à I. e ao J. que começa a sua caminhada na catequese! Espero que nos encontremos em breve)

Comentar post




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds


livros escritos pela mãe

Os Mistérios da Fé
NOVO - Volume III

Volumes I e II



Pesquisa

Pesquisar no Blog  


Arquivos

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D